Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2011

Vendas de roupas on line crescem no Brasil com a ajuda de novas ferramentas e estratégias

Empresas do segmento de varejo de vestuário investem em tecnologia para facilitar a compra de roupas pela internet. A adoção dos conceitos de vestibilidade (informar ao consumidor as medidas de corpo para o qual determinado artigo foi feito) ganha força e possibilita o crescimento das vendas virtuais com mais segurança para o consumidor.



Fonte: Programa Mundo S/A - Globonews

Empresa catarinense de games lança jogo de moda para o Facebook

Poderia ser apenas um jogo para quem gosta de moda, mas não é. A loja virtual - com roupas e acessórios à venda - também ensina o usuário a gestão do negócio, como controles de estoque e contratações de funcionários. Uma loja digital, mas que possibilita a compra de peças reais, disponíveis em um site de vendas que existe de verdade. Esse é o conceito do LOJA FELIZ (http://apps.facebook.com/lojafeliz), um jogo para o Facebook criado pelo portal de compras Posthaus (http://www.posthaus.com.br/) e a empresa de jogos PalmSoft (http://www.palmsoft.com.br/).

As empresas, genuinamente catarinenses, se uniram para criar algo inovador nas redes sociais. O objetivo é gerar a interação entre usuários do Facebook e/ou clientes do portal de compras. O jogo é, basicamente, a loja da Posthaus e o jogador deve administrar a loja e vender as peças dos catálogos aos clientes. A personagem inicia o jogo com um guarda-roupa enxuto, mas é possível adquirir novas peças durante o jogo, tanto na própria loj…

Redução do INSS para setor de Confecção

As indústrias dos setores de confecção, calçados, móveis e software terão a folha de pagamento desonerada, ou seja, pagarão menos encargos sobre o salário de seus empregados. Essa medida faz parte do Plano Brasil Maior, pacote anunciado ontem pelo governo federal como incentivo à indústria nacional.

O projeto irá beneficiar empresas que estão em dificuldade e vai incentivar outras para que continuem a investir. O custo do corte de impostos deve ficar na casa dos R$ 25 bilhões à União.

A expectativa é que a desoneração da folha aumente a competitividade dos segmentos escolhidos no projeto, que são grandes empregadores, pois as empresas dessas áreas têm perdido espaço na concorrência internacional para fabricantes de outros países – como China e Índia – devido ao dólar desvalorizado ante o real. Com o auxílio, o Palácio do Planalto espera evitar demissões e até estimular contratações nos setores com dificuldades.

A desoneração adotada pelo governo consiste em reduzir de 20% para zero a …